24 novembro 2008

Os Contrários


“Que diremos pois à vista destas coisas? Se Deus é por nós, quem será contra nós?”
Paulo. (Romanos, cap. 8, v. 31.)

A interrogação de Paulo ainda representa precioso tema para a comunidade evangélica dos dias que correm.Perante nosso esforço desdobra-se campo imenso, onde o Mestre nos aguarda a colaboração resoluta.
Muitas vezes, contudo, grande número de companheiros prefere abandonar a construção para disputar com malfeitores do caminho.
Elementos adversos nos cercam em toda parte.
Obstáculos inesperados se desenham ante os nossos olhos aflitos, velhos amigos deixam-nos a sós, situações favoráveis, até ontem, são metamorfoseadas em hostilidades cruéis.
Enormes fileiras de operários fogem ao perigo, temendo a borrasca e esquecendo o testemunho.
Entretanto, não fomos situados na obra a fim de nos rendermos ao pânico, nem o Mestre nos enviou ao trabalho com o objetivo de confundir-nos através de experiências dos círculos exteriores.
Fomos chamados a construir.
Naturalmente, deveremos contar com as mil eventualidades de cada dia, suscetíveis de nascer das forças contrárias, dificultando-nos a edificação; nosso dia de luta será assediado pela perturbação e pela fadiga.
Isto é inevitável num mundo que tudo espera do cristão genuíno.
Em razão de semelhante imperativo, entre ameaças e incompreensões da senda, cabe-nos indagar, bem -humorados, à maneira do apóstolo aos gentios:
- “Se Deus é por nós, quem será contra nós?”
EMMANUEL
(Do livro "Pão Nosso", 154, FCXavier, FEB)

09 novembro 2008

Depois


Depois de ouvir a palestra esclarecedora, cultive-a junto dos companheiros ausentes- Ensinamento ouvido, riqueza de aprendizado...

Depois da notícia edificante, transmita-a sem demora aos irmãos carentes de estímulo- Ânimo levantado, rendimento em serviço...

Depois de ler a publicação doutrinária, passe-a adiante, clareando outras consciências.- Palavra escrita, idéia gravada...

Depois de entender as frases do livro edificante, imprima-a no próprio verbo.- Estudo assimilado, conversação enobrecida...

Depois de reconhecer o próprio erro, conserve a experiência, divulgando-a no instante oportuno.- Queda de alguém, apelo a muitos...

Depois de observar o acontecimento digno de atenção, saliente o aviso que ficou.- Fato proveitoso, lição da vida...

Depois de substituir o objeto usado por outro novo, conduza-o a mãos em maiores necessidades. - Traste velho na frente, auxílio na retaguarda...

Depois de um dia, de uma tarefa, de uma crise, de uma enfermidade, de uma viagem ou de um encontro, algo se modifica em nosso espírito, para melhor, e devemos ofertar aos outros o melhor ao nosso alcance, sem deixar qualquer auxílio para depois.


ANDRÉ LUIZ
(Do livro "Estude e Viva", Francisco C. Xavier e Waldo Vieira,
pelos Espíritos Emmanuel e André Luiz)

08 novembro 2008

Jornalzinho de Novembro 2008

Aí pessoal!!!

Já está disponível para baixar o jornalzinho de novembro de 2008. Clique no link http://www.4shared.com/file/70338337/e8b0d3c4/jornal_2008-11.html

05 novembro 2008

Não se deixe desestimular

No seu aprendizado diário, na caminhada necessária para a evolução, você encontra empeços variados ao longo do caminho, que parecem destinados a lhe desanimar no longo percurso.

Muitas vezes você encontra os chamados "inimigos gratuitos", os amigos faladores que o deixam em situações difíceis.

Outras vezes se depara com enfermidades físicas, com as deficiências de caráter de tanta gente, o que lhe provoca profunda tristeza, pois são companheiros que não movem uma palha em seu favor, embora ocupem seu tempo sempre que encontram a mínima dificuldade.

Você tem à sua volta a inflação que cresce e os ganhos materiais que parecem não acompanhá-la, o que lhe faz pensar que quanto mais trabalha menos ganha e gasta mais.

Você costuma ver desmoronar os mais acalentados sonhos domésticos, sem se sentir no direito de fugir.

Desmoronam os anseios do cônjuge atencioso e afetuoso; dos filhos estudiosos, responsáveis, respeitosos; da família companheira capaz de suprir você de energias nas horas apertadas para o seu coração.

Como se não bastasse, ainda surge a indiferença que o faz sentir-se solitário no mundo, sem qualquer apoio ou sustentação moral.

Contudo, seja qual for a luta que lhe caiba, seja qual for o testemunho que tenha de enfrentar, não se deixe desestimular, não se permita o abatimento.

Você não é vítima da vida.

Encontra-se unicamente em processo de reeducação, tendo oportunidade de acertar-se com a vida que um dia desrespeitou em vários de seus aspectos.

Você que conhece Jesus, ou que um dia ouviu sobre a lei de causa e efeito, deve raciocinar que o bem ou o mal semeado na vida, da vida será colhido, e o seu desconsolo ou o seu desalento em nada colaborará para a resolução dos seus problemas.

Você deverá, então, aprender a analisar melhor as situações pelas quais tenha que passar. Deverá aprender a perdoar, a compreender, a respeitar diferenças, a falar menos, a penetrar melhor as razões das coisas, a condenar menos, a ser mais indulgente.

O tempo implacável não pára. Assim, se você o aproveitar para aprender a crescer e ser feliz, ele o abençoará com expressiva claridade.

Caso o desperdice, recolhendo-se à maldição do desânimo ou à fuga, verdadeiramente terá lançado fora o mais expressivo tesouro que nos é oferecido pelo criador, para que nos façamos ricos e felizes: o tempo.

Não se perca nas teias do desestímulo. Confie sempre em Deus, que lhe dá sempre o melhor, dando-lhe chances de brilhar e ser feliz.

Pense nisso!

Os obstáculos que surgem no seu caminho, não são para impedir seus passos, são desafios para serem superados.

Cada vez que você consegue vencer uma dificuldade, sai dela mais fortalecido e mais confiante.

Assim, não se deixe, jamais, desestimular em circunstância alguma, pois Deus confia no seu poder de vencer os impedimentos e vencer-se a si mesmo.

Baseado no capítulo 10 do livro "Para uso diário", ed. Fráter Livros Espíritas.