04 janeiro 2007

Carta de Ano Novo

Em todo o mundo cuidados estão sendo tomados para que a passagem de ano, mais uma vez, possa ser um espetáculo de rara beleza. Complexas providências envolvendo por vezes fogos de artifício, cada vez mais sofisticados, deverão garantir o visual que tem caracterizado a chegada do Ano Novo, com muitas luzes e alegria, como revelam as reportagens veiculadas nos órgãos da grande imprensa.
No livro “Vida e caminho”, de Espíritos diversos, psicografado por Francisco Cândido Xavier, há uma mensagem de Emmanuel bastante oportuna, sobretudo para essa época do ano, marcada pela esperança em novas e melhores realizações. A página é intitulada “Carta de Ano Novo” e diz assim:
“Ano Novo é também a renovação de nossa oportunidade de aprender, trabalhar e servir.
O tempo, como paternal amigo, como que se reencarna no corpo do calendário descerrando-nos horizontes mais claros para a necessária ascensão.
Lembra-te que o ano em retorno é novo dia a convocar-te para execução de velhas promessas, que ainda não tiveste a coragem de cumprir.
Se tens algum inimigo, faze das horas renascer-te o caminho da reconciliação.
Se foste ofendido, perdoa, a fim de que o amor te clareie a estrada para a frente.
Se descansaste em demasia, volve ao arado de tuas obrigações e planta o bem com destemor para a colheita do porvir.
Se a tristeza te requisita, esquece-a e procura a alegria serena da consciência feliz no dever bem cumprido.
Novo Ano! Novo Dia!
Sorri para os que te feriram e busca harmonia com aqueles que te não entenderam até agora.
Recorda que há mais ignorância que maldade, em torno do teu destino.
Não maldigas, nem condenes.
Auxilia a acender alguma luz para quem passa ao teu lado, na inquietude da escuridão.
Não te desanimes, nem te desconsoles.
Cultiva o bom animo com os que te visitam, dominados pelo frio do desencanto ou da indiferença.
Não te esqueças de que Jesus jamais se desespera conosco e, como que oculto ao nosso lado, paciente e bondoso, repete-nos de hora a hora:
- Ama e auxilia sempre. Ajudando aos outros, amparando a ti mesmo, porque se o dia volta amanhã, eu estou contigo, esperando pela doce alegria da porta aberta de teu coração.”

Transcrito do SEI de 31/12/2005